A PASSAGEM DO MAR VERMELHO
Você sabia que..
...Ainda não foi possível fixar com exatidão o local da "passagem do mar"?
A primeira dificuldade que os pesquisadores encontram é com o nome do local onde os hebreus atravessaram o mar: às vezes fala-se em "Mar Vermelho", outras em "Mar dos Juncos". Mas às margens do mar Vermelho não crescem juncos. O mar dos juncos ficava mais para o norte da região e desapareceu com a abertura do canal de Suez. Porém, foram encontrados sinais da existência desse "mar’, que ligava o golfo de Suez, ao sul, com o lago Timsah ou lago dos Crocodilos. Essa ligação possui vários locais onde podia ser atravessada a pé, tendo sido mesmo encontrados vestígios desses lugares.
Nos primeiros tempos do cristianismo alguns peregrinos pensaram que a fuga dos hebreus tivesse sido pelo mar Vermelho. Supunham, então, que o fato ocorrera na ponta norte do golfo de Suez, perto da atual cidade de Suez. Também ali poderia Ter tido lugar a passagem. De vez em quando ocorrem naquela região ventos muito fortes com grande força, fazendo-a recuar e permitindo que se passe a pé nesse lugar.

O FIM DE SODOMA
Você sabia que...
...Sodoma foi destruída pôr um afundamento do vale onde se encontra o mar Morto?
Estudos feitos no mar Morto na Segunda metade do século passado mostraram que esse mar apresenta características únicas em todo o mundo: sua água possui 25% de sal dissolvido (os mares têm de 4% a 6%) e sua parte mais profunda fica a quase 800 metros abaixo do nível do Mediterrâneo. O mar Morto tem uma profundidade 400metros, mas na ponta sul chega no máximo a 20 metros. Esta parte, segundo alguns estudiosos, sofreu um afundamento pôr volta do ano 1900 a . C., no tempo de Abraão, devido a um grade terremoto, que deve Ter sido seguido pôr explosões, desprendimento de gases naturais e fogo sob várias formas. Isso ocorreu porque o vale do Jordão, onde está o mar Morto, fica sobre uma grade falha da crosta terrestre que começa na cordilheira do Tauro, na Ásia Menor, e termina na África, depois do mar Vermelho. Esse afundamento pode ser notado, pois no fundo dessa parte do mar Morto, onde se supõe estivesse Sodoma, ainda se podem ver contornos de florestas antigas, conservadas pelo sal.

O NOME DE MÓISES

Você sabia que...
...O nome Moisés é de origem egípcia?
Os estudiosos constataram que o nome de Moisés tem relação com os nomes usados no Egito na época de seu nascimento. Encontra-se com freqüência a palavra Moisés, unida com nome de alguma divindade egípcia, no nome de faraós, principalmente entre os que reinaram entre 1570 e 1310 a.C.
O nome Moisés, em egípcio Mês-es-su, significava "filho de...". Pôr exemplo, Tutmosis, um dos faraós, significa "Filho de Tot’(o deus egípcio da sabedoria). Pode-se pensar, então, que o nome Moisés deveria ser mais longo, tendo o nome de uma divindade egípcia também, pois ele foi criado na corte do faraó. Parece que o nome mais breve, Moisés, se originou na recusa, pôr parte de Moisés, em usar o nome de uma divindade egípcia, já que ele era o chefe do povo de Israel, que venerava o Deus único. Mas quem colocou pôr escrito na história da Moisés, no Êxodo, fez derivar seu nome de um verbo hebraico (masha) que significa "tirar". Assim, o nome de Moisés poderia significar "aquele que tira’, relacionado com a saída d povo hebreu do Egito.

AS PRAGAS DO EGITO

Você sabia que...
...As "praga" do Egito não são coisas incomuns e ainda hoje ocorrem?
As chamadas "pragas" ainda costuma, ocorrer no Egito, como nos tempos bíblicos. Assim, a água do Nilo "converte-se em sangue" quando o aluvião dos lagos abissínios colore de vermelho-pardo, que pode dar a impressão de sangue, principalmente a água do curso superior do grande rio. No tempo das enchentes, as rãs e os mosquitos proliferam de tal maneira que se transformam em verdadeiras pragas. As moscas da Bíblia devem ser os moscardos que chegam a invadir regiões inteiras, entrando nos ouvidos, no nariz o nos olhos das pessoas, causando dores fortíssimas. Em todo o Egito ainda há peste dos animais. Quanto às úlceras, que vitimam homens e animais, pode tratar-se da fogagem ou sarna do Nilo, uma erupção na pele que arde e coça, podendo transformar-se em graves úlceras. O granizo é raro mas não desconhecido no Egito. Os gafanhotos ainda são flagelo típico no Oriente. As trevas podem ser devidas ao simum, um vento forte que carrega grandes nuvens de areia que escurecem o sol. Só para a morte dos primogênitos não há qualquer explicação.

ACHADO ARQUEOLÓGICO

Você sabia que...
...O achado arqueológico mais espetacular dos último tempos está ligado à Bíblia?
Em 1947, na margem noroeste do Mar Morto, perto de Khirbet Qumrãm, ao sul de Jericó, um pastor de 15 anos estava à procura de uma cabra perdida. Enquanto subia a encosta, avistou uma fenda na parede rochosa. Jogou uma pedra dentro da fenda e ouviu o barulho de alguma coisa se quebrando. Entrou na abertura e encontrou uma gruta, mas não encontrou o tesouro que esperava. Encontrou só uma porção de potes de cerâmica com 60 cm de altura cada um, e dentro deles rolos de couro malcheirosos, com cordas sujas.
O pastorzinho procurou vender os rolos a um comerciante de antiguidades muçumano, mas este o convenceu a vendê-los ao mosteiro sírio de Belém. Os monges ficaram com alguns rolos; os outros foram vendidos ã Universidade hebraica. Depois de vários episódios complicados, todos os rolos puderam ser examinados pôr competentes arqueólogos, que mostraram que aqueles modestos rolos eram preciosos. Eram cópias de livros da Bíblia, entre elas o Livro de Isaías, feitas pôr volta do ano 100, antes do Cristo.

Fonte: Internet
Vilson Ferro Martins

  1. O número DEVERÁ estar cadastrado no WhatsApp.
  2. Nome Completo(*)
    Entrada Inválida
  3. DDD + Telefone(*)
    Entrada Inválida
  4. Email(*)
    Entrada Inválida

Assine News

Inscreva-se para receber POR E-MAIL diariamente nossa palavra.
Nome
E-mail
Confirme E-mail


Artigos

Doe Agora

eBook - Livros!

   

Visitantes Online

Temos 120 visitantes e Nenhum membro online

Deus se importa

Se você precisa de uma palavra abençoadora para o seu coração, então clique AQUI.

Recursos

banner-monte-sinal