ERROS DE INTERPRETAÇÃO SOBRE PROFECIAS BÍBLICAS

Ao ler este artigo, você compreenderá algumas das falsas interpretações de profecias que se tornaram bem conhecidas depois da famosa "Guerra dos Seis Dias" no Oriente Médio, em 1967. Esta análise também deveria acabar de vez com os boatos relativos ao "computador da besta" na Bélgica, à miraculosa multiplicação dos corvos [em Israel, supostamente para que se cumprisse Ezequiel 39.4,17 – NE], às contínuas reivindicações da descoberta da Arca da Aliança e de outras descobertas arqueológicas sensacionais, bem como às ousadas reivindicações da localização da Arca de Noé. Tais coisas não ajudam, pelo contrário, só contribuem para a crescente confusão no mundo de hoje.

Compreender a Palavra Profética


A Palavra de Deus nos diz que compreender a Jesus equivale a compreender a profecia. Apocalipse 19.10, por exemplo, afirma: "Prostrei-me ante os seus pés para adorá-lo. Ele, porém, me disse: Vê, não faças isso; sou conservo teu e dos teus irmãos que mantêm o testemunho de Jesus; adora a Deus. Pois o testemunho de Jesus é o espírito da profecia." Quero ressaltar a última frase: "Pois o testemunho de Jesus é o espírito da profecia." Trata-se de uma afirmação muito forte, que vem diretamente do céu e que uma vez mais dá testemunho da Trindade. A perfeita unidade de Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo, em conjunção com a profecia, é claramente demonstrada nesse trecho.

Jesus é a verdade, o Espírito é a verdade, a profecia é a verdade. Portanto, quando estamos lidando com a Palavra Profética, precisamos reconhecer plenamente que estamos lidando com o Deus da profecia, com Jesus e com o Espírito da verdade! O testemunho de Jesus Cristo é verdadeiro, quer confiemos nele ou não. A nossa incredulidade ou interpretação errônea não muda a verdade.

O Único Caminho Para a Salvação

Ninguém pode ser salvo, a não ser através de Jesus. A Palavra de Deus nos diz que Ele é o caminho, a verdade e a vida, e que ninguém pode vir ao Pai senão por Ele (veja João 14.6). O testemunho de Jesus Cristo é verdadeiro para toda a humanidade – passada, presente e futura. O sangue do Cordeiro de Deus é a única substância que purifica completa e perfeitamente o pecador, permitindo-lhe comparecer inculpável à presença de Deus, o Criador.

Temos a liberdade de interpretar os sinais do fim que a Sagrada Escritura nos dá, mas a nossa interpretação jamais deve ser considerada a final. Devemos permitir que as Escrituras confirmem a si mesmas, do mesmo modo como o Senhor Jesus e Seus apóstolos o fizeram.

A Bíblia é absoluta e deve ser aceita literalmente. Quando deixamos de fazer isso, surge a confusão. Consideremos uma notícia do jornal The Scotsman:

Um recente debate acerca das histórias bíblicas dividiu a Igreja da Escócia, depois que seu moderador descreveu o nascimento virginal como um evento simbólico e atacou os conservadores religiosos. Ao pregar em Edimburgo, o reitor Rev. Dr. James Weatherhead, Moderador da Assembléia Geral, defendeu as dúvidas recentemente expressas por líderes da igreja, inclusive o bispo de Durham, acerca da realidade factual do nascimento virginal. O Dr. Weatherhead, falando na catedral de St. Giles, disse que a Bíblia era muito mais um documento poético do que de verdades legais ou literais. "Não estamos necessariamente dizendo algo depreciativo acerca do nascimento virginal, quando afirmamos que ele é simbólico", disse ele.[1]

Nesse caso vemos um teólogo proeminente tornando-se um tolo ao negar a verdade literal da Bíblia, alegando que o nascimento virginal seja meramente simbólico.

A Igreja é a Receptora da Profecia

O apóstolo Pedro adverte os crentes a darem ouvidos à Palavra Profética e enfatiza que esta é absolutamente confiável. Ele faz uma afirmação importante em 2 Pedro 1.20: "Sabendo, primeiramente, isto: que nenhuma profecia da Escritura provém de particular elucidação." A Palavra Profética foi dada à Igreja de Cristo, o corpo completo dos que crêem.

Ela não é, entretanto, deixada à interpretação individual e isolada. Quando um indivíduo crê que descobriu uma verdade especial nas Escrituras, ele deveria comparar cuidadosamente a sua crença com a de outros homens de Deus e observar como eles interpretam o mesmo texto bíblico. Por exemplo, é o Espírito da profecia que enfatiza nestes últimos tempos, para muitos servos de Deus, que a época dos gentios está chegando ao fim. A Igreja toma conhecimento disso coletivamente, em todo o mundo. Não se trata de uma revelação especial dada somente a uma certa pessoa.

O apóstolo Pedro que, conforme já dissemos, rejeitava a interpretação isolada das Escrituras, enfatizou que a Palavra da profecia é inspirada por Deus, o Espírito Santo. Ela não procede de homens: "Porque nunca jamais qualquer profecia foi dada por vontade humana; entretanto, homens [santos] falaram da parte de Deus, movidos pelo Espírito Santo" (2 Pedro 1.21).

  1. O número DEVERÁ estar cadastrado no WhatsApp.
  2. Nome Completo(*)
    Entrada Inválida
  3. DDD + Telefone(*)
    Entrada Inválida
  4. Email(*)
    Entrada Inválida

Assine News

Inscreva-se para receber POR E-MAIL diariamente nossa palavra.
Nome
E-mail
Confirme E-mail


Artigos

Doe Agora

eBook - Livros!

   

Visitantes Online

Temos 98 visitantes e Nenhum membro online

Deus se importa

Se você precisa de uma palavra abençoadora para o seu coração, então clique AQUI.

Recursos

banner-monte-sinal