"MAS o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios" - 1 Timóteo 4:1.

Certamente você já ouvir falar sobre: fadas, elfos, gnomos, vampiros, duendes, feiticeiros, advinhos, bruxas, wicca, lobisomens, e coisas semelhantes a estas.

Afinal, que quer dizer todo esse LIXO?

Este artigo tem por objetivo trazer luz a respeito de algumas práticas que a mídia tem difundido como normal ou como folclore, lendas, contos, mas que na realidade trata-se de uma trama diabólica travestida de “luz” para enganar se possível até os escolhidos. A preocupação maior é com crianças e jovens que por desconhecerem a origem de tais praticas acabam por aceitarem com normalidade ou em determinados casos até a prática crendo tratar-se de práticas que os individualizam, fazendo-os sentirem-se diferentes nua sociedade ditada por padrões de comportamentos, ética, moral, costumes, etc. Trata-se de uma oposição ferrenha a santa Palavra de Deus e suas ordenanças para o homem.
É provavel que alguns não concordem com o teor do artigo, portanto, quero externar uma verdade imprescindível e fundamental: VOCÊ precisa de sangue para viver e para obter vida eterna – o Sangue de Jesus Cristo! Sem este Sangue, você está condenado a morte eterna e a um inferno de tormentos. (Lucas 16:23 – Mateus 8:12 – 13:42. 50 – 22:13 – 24:51 – 25:30).
Boa leitura:

A HISTÓRIA:

VLAD

Vlad III, Príncipe da Valáquia (Sighişoara, c. 1431 – Bucareste, dezembro de 1476), comumente conhecido como Vlad, o Empalador (em romeno: Vlad Ţepeş, AFI: [ˈvlad ˈt͡sepeʃ]) ou Drácula, foi príncipe (voivoda) da Valáquia por três vezes, governando a região em 1448, de 1456 a 1462 e em 1476.

Historicamente Vlad é mais conhecido por sua política de independência em relação ao Império Otomano, cujo expansionismo sofreu sua resistência, e pelas punições excessivamente cruéis que impunha a seus prisioneiros. É lembrado por toda a região como um cavaleiro cristão que lutou contra o expansionismo islâmico na Europa, e é um herói popular na Romênia e na República da Moldávia ainda hoje.

Ao mesmo tempo em que Vlad III se tornou famoso por seu sadismo, era respeitado pelos seus cidadãos como guerreiro, por sua ferocidade contra os turcos, e como governante que não tolerava o crime entre sua gente. Durante seu reinado, ergueu grandes mosteiros.

Fora da Romênia, o voivoda é célebre pelas atrocidades contra seus inimigos, que teriam sido a inspiração para o conde Drácula, vampiro de Drácula, romance de 1897 do escritor irlandês Bram Stoker.

Após a invasão de Valáquia pela Hungria, em 1447 Vlad II e seu filho mais velho, Mircea, foram assassinados. Em 1456, Vlad Tepes retornou à região e retomou controle das terras, assumindo novamente o trono de Valáquia. Esse retorno tardio de Vlad III teria confundido os moradores da região, que pensaram ser Vlad II retornando anos depois de sua morte. Isso teria ajudado a criar a lenda de sua imortalidade.

ORIGEM DO NOME:

Seu sobrenome romeno, Dracula (também grafado Draculea e Drakulya), usado para designar Vlad em diversos documentos, significa "filho do dragão", e refere-se a seu pai, Vlad Dracul, que recebeu este apelido de seus súditos após ter se juntado à Ordem do Dragão - uma ordem religiosa criada pelo sacro imperador romano-germânico Sigismundo no ano de 1431. Dracul, que vem do latim draco ("dragão"), significa "diabo" no romeno atual.

Seu apelido post-mortem de Ţepeş ("Empalador") teve origem em seu hábito de matar inimigos através do empalamento, uma prática popularizada por diversos panfletos medievais na Transilvânia. Em turco era conhecido como Kazıklı (AFI: [kɑzɯkˈɫɯ]) Voyvoda ou Kazıklı Bey, "Bey" ou "Príncipe Empalador".
http://pt.wikipedia.org/wiki/Vlad_III,_o_Empalador

VAMPIROS:

Parece que a origem desse vocábulo é eslava; mas os dicionários não ousam sugerir o que a palavra significava originalmente. Todavia, a tradição a respeito dos vampiros é bastante clara.  Estão em vista os mortos vivos, ou seja, cadáveres que, presumivelmente, poderiam ser reanimados, cadáveres vivos, se é possível imaginar tal aberração. Tal cadáver precisa de sangue para continuar “vivendo”, o que explica por que vive constantemente à cata de sangue. Quando um vampiro morde alguém, esse alguém é infeccionado pelo vampirismo, e assim a espécie vai se multiplicando.

A ciência tem demonstrado que existe uma espécie de vampirismo. Trata-se de uma condição patológica na quam a pessoa tem tremenda necessidade de sangue, e passa a morder pessoas e a lamber-lhes e sorver-lhes o sangue. No entanto, a pessoa afetada é apenas alguém que está enfermo, e jamais um morto-vivo.
Encliclopédia de Bíblia, Teologia e Filosofia – R.N. Champlin – Vol.6 – pg. 717

FERAS MALIGNAS E MANIFESTAÇÕES DE DEMÔNIOS:

Segundo a dra. Rebecca Brown (que não aprovo nem desaprovo, mas apenas cito), em seu livro “Ele veio para libertar os cativos” ela afirma que criaturas lendárias como vampiros e lobisomens existem de fato e que os tais são produtos de manifestações demoníacas que promovem mudanças físicas no corpo de pessoas, fazendo com que as mesmas fiquem parecidas com um animais mas com a força e características de um super humano.
Ela ainda afirma que os demônios pode se manifestar em forma física. As formas variam desde a extrema beleza à feiura horripilante. Eles também podem se manifestar com a aparência perfeita de um ser humano. Os satanistas os chamam  de “changelings”, “incubi” ou “dopple-gangers”. O dicionário assim os define: Os “changelings” são supostas crianças que nas estórias são deixadas pelas fadas no lugar de outra que elas roubaram. Um “dopple-ganger” é o espírito
de uma pessoa viva que tem a mesma aparência física dela. Os “incubi” são demônios que adotam uma forma masculina geralmente humana, a fim de ter relações sexuais com mulheres.
Ele veio para libertar os cativos – Rebecca Brown – W&W Editorial – pg. 180, 181, 186.

A LUZ DA PALAVRA DE DEUS:

A Palavra de Deus vem com uma contundente advertência principalmente para os jovens:
“Alegra-te, jovem, na tua mocidade, e recreie-se o teu coração nos dias da tua mocidade, e anda pelos caminhos do teu coração, e pela vista dos teus olhos; sabe, porém, que por todas estas coisas te trará Deus a juízo.
Afasta, pois, a ira do teu coração, e remove da tua carne o mal, porque a adolescência e a juventude são vaidade.
LEMBRA-TE também do teu Criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os maus dias, e cheguem os anos dos quais venhas a dizer: Não tenho neles contentamento”. (Eclesiastes 11:9-10 - 12:1).

“Semelhantemente vós jovens, sede sujeitos aos anciãos; e sede todos sujeitos uns aos outros, e revesti-vos de humildade, porque Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes”. (1 Pedro 5:5).

“Eu vos escrevi, jovens, porque sois fortes, e a palavra de Deus está em vós, e já vencestes o maligno”. (1 João 2:14).

POR QUE TANTA PREOCUPAÇÃO DE DEUS PARA COM OS JOVENS?

A resposta encontramos nos seguintes textos:
“SABE, porém, isto : que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos.
Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te” (2 Timóteo 3:1-5).

“Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; e desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas” (2 Timóteo 4:3-4). Ênfasê no “voltando às fábulas”.

Amados irmãos em Cristo,
Temos vivenciado um momento de extrema periculosidade para a fé, pois, num mundo que jaz no maligno observa-se o ardiloso trabalho desse maligno para disseminar sua destruição focando principalmente as criancas e os jovens.
Veja como o inimigo age ao longo do tempo e assim ele vai conseguindo abrir espaço mais e mais nessa sociedade que anda repleta de malignidade.
Há não muito tempo atrás as bruxas (e a bruxaria) era retratada como uma mulher asquerosa, com parcos dentes, horrivel verruga num pontiagudo nariz, tendo sempre a mão uma vassoura para seu transporte e um negro caldeirão para realizar suas poções, entretanto, os mais maduros hão de se lembrar do “banho de loja” porque passaram as mesmas. Num seriado chamado “ A feiticeira” a figura terrivel da bruxa foi trocada pela bela loura, bonita, inteligente, atraente e que com alguns movimentos ora no nariz, ora com a boca alterava todo o ambiente, fazendo os durões se transformarem em dóceis, de modo que todos acabavam por fazer o que ela desejava. Perceberam a astuta mudança?

As palavras de Luiz C. Montanini cabem muito bem aqui:

Ao longo das últimas décadas, desenhos animados foram surgindo — produzidos na maioria nos estúdios americanos de Walt Disney. Gibis foram aparecendo e cruelas cruéis e magas patalógicas ganharam espaço. Reinos encantados saíram das pranchetas e espelhos mágicos sugeriam que a beleza era objeto de desejo, mesmo que para alcançá-la fosse necessário fazer uso da bruxaria e encantar belas adormecidas. A televisão transformou o planeta e principalmente as crianças em reféns da imagem e do som e o mundo voltou às fábulas.

Os educadores começaram a se preocupar. Como seria o mundo futuro se as crianças viviam como que hipmotizadas e passivas diante da Tevê? E, o que era pior, sem poder contar com a ajuda dos pais, da mesma forma escravizados.

A solução chegou também sutil e num repente. E foi literalmente um anjo caído do céu quem a apresentou: em livros. Não era isto que a humanidade queria? Tirar as crianças da TV e devolvê-las aos livros, o maior ícone cultural de toda a civilização?

As crianças precisavam voltar aos livros, não era essa a prioridade? Que voltassem a ler. Não importava que contivessem versos satânicos que as convidasse para entregar a alma ao Dragão, a antiga serpente, que é Satanás. Não importava que seu conteúdo ensinasse crianças a amaldiçoar a Deus e desejar o poder das trevas. Afinal, livro é cultura.
Cenário pronto, com a geração dos pais ainda como que hipnotizada pela piscadela da feiticeira Samantha do seriado em preto e branco, bastava encher as prateleiras das livrarias do cosmo.

Como se ainda estivesse em transe, a geração atual de pais não ofereceria qualquer resistência à entrada em suas casas de um completo manual de bruxaria, de acabamento de luxo e nome aparentemente inocente, com aventuras protagonizadas por um adolescente também aparentemente inocente e que usa óculos para grau forte: Harry Potter. Travestido de livro, a série é um curso completo de iniciação às profundezas de Satanás. E põe profundeza nisso.

Como disse alguém, o diabo é mau, não burro. Ele jamais chegaria exalando enxofre e de chifres à mostra — se é que os tem. O raciocínio do Demo é mesmo diabólico. Ele está mesmo endemoninhado. Quem, em sã consciência, iria impedir que crianças tenham acesso a uma fonte de saber fundamental como o livro? Afinal, esta série conseguiu fazer o que parecia impossível: tirar crianças da frente da tv, a babá eletrônica.
Os anjinhos passaram a adquirir o gosto pela leitura. Isto é maravilhoso. Estão lendo, é o que importa.
O que estão lendo não faz qualquer diferença... Assim como não faz diferença o que estão vendo ainda hoje em suas tv's particulares, nos quartos. Filhos de crentes trancados no quarto, ligados no canal que querem, e até a hora em que desejarem. Ora, pais, deixem de ser caretas..., dizem as más línguas.

Da teoria para a prática:

Entre um plim plim e outro, os pimpolhos se entopem de assassinatos em série, estupros, crueldade e vingança... mas pelo menos não incomodam a mamãe na cozinha ou o papai, no trabalho. Agora, já não enchem o saco. Estão se enchendo do saber...
E como sabem. Sabem amaldiçoar, fazer um trabalho de bruxaria para matar alguém, renegar a Jesus, vingarem-se.
Para os educadores a novidade é saudada como maravilhosa. Dizem que esses livros de bruxaria levaram as crianças a deixar a passividade. Agora estão lendo.

Realmente as crianças deixaram a passividade. Antes, pela tv, os peraltinhas apenas viam outros matando, roubando, vingando-se e se prostituindo. Receberam lições inesquecíveis. Agora, com o manual de bruxaria, podem praticá-las.
Basta um pacto satânico. Jesus, aprenderam, era um fraco, morreu. Mas o Diabo sim, tem poder e passa esta força a qualquer interessado. Além disso estão agradando papai e mamãe, afinal nunca leram tanto em toda sua longa e experiente vida de 8 ou 12 anos...

Sucesso no Mundo todo:

A série de livros de bruxaria escrita por Joanne Kathleen Rowling é sucesso no mundo todo e já é responsável pelo aumento no número de adeptos do satanismo. Nos últimos quatro anos, desde que o primeiro livro de Harry Potter surgiu nas livrarias americanas, o número de pessoas adeptadas ou simpatizantes do satanismo cresceu 14 mil por cento, só nos Estados Unidos.
Em 1995, os EUA tinham cerca de 100 mil adultos envolvidos com seitas e igrejas satânicas.
Hoje, estima-se que a igreja satânica tenha 14 milhões de seguidores entre crianças e jovens, nos EUA. No Brasil, a principal igreja satânica está sediada em Vitória, no Espírito Santo, cidade aliás campeã em homicídios no País. Para os satanistas, que não escondem a predileção por crianças e jovens virgens, de ambos os sexos, para iniciá-las em orgias e sacrifícios diabólicos, receber uma adesão infantil e inocente como essa é um presente do inferno.

A série Harry Potter já foi vendida em 42 países, traduzida para 35 idiomas e ultrapassou a marca de 100 milhões de exemplares vendidos. Na maioria dos países, os livros de Harry Potter estão em primeiro lugar de vendas.

O personagem foi criado por uma escritora britânica de 34 anos, Joanne Kathleen Rowling. A autora se descreve, quando criança, usando óculos, tímida e insegura, porém, bastante estudiosa. Na infância tinha um vizinho que gostava de brincar, chamado Potter. Eles costumavam brincar de ser bruxos. Joanne terminou seus estudos, casou-se, mas logo depois se divorciou. Quando sua mãe morreu, ela entrou em depressão. Foi nessa hora que começou a escrever a série Harry Potter. A autora, fazendo um apanhado de seus escritos, afirma: ´O tema que percorre os sete livros é a luta entre o bem e o mal´.

As aventuras de Harry Potter têm tirado muitas crianças da televisão e dos vídeo-games e os feito ingressar na leitura das trevas. Ao trocaram seis por meia dúzia estão na realidade, trocando tudo por 666, número que, segundo a Bíblia é marca registrada de Satanás.

As escolas têm, até mesmo, incluído no seu currículo, a leitura dos livros da série como auxílio nas aulas de gramática. Entretanto, alguns pais, numa escola em Durham, perto de Toronto, Canadá, não queriam deixar que os livros de Rowling fossem lidos em sala de aula para seus filhos, pois alegavam que os livros traziam glorificação à feitiçaria. Depois de vários debates, o conselho da escola decidiu pela permissão da leitura.

No Brasil, muitos colégios estão adotando os livros. Três grandes colégios particulares de Campinas, SP, já o fizeram. E pretendem adotar a série ´didática´ que está no prelo e deve sair nos próximos meses no Brasil.

Professor de feitiços:

Harry Potter é um garoto que, quando pequeno, enfrentou o mais poderoso bruxo, Lord Voldemort. Quando conseguiu vencê-lo, alguns poderes foram transferidos misteriosamente a ele. A partir daí, Potter vai para a escola de bruxos onde os personagens são: um professor de defesa contra artes das trevas, um professor de feitiços, um professor fantasma, um poltergeist, entre outros.

O material para os alunos da segunda série da escola de Harry Potter são: ´O Livro padrão de feitiços, 2ª série; Como dominar um espírito agourento, Como se divertir com vampiros, Férias com bruxas malvadas, (...) Excursões com vampiros, Passeios com lobisomens...´.

Impedidos por seus pais de freqüentarem cultos satânicos, alguns adolescentes têm criado suas próprias instituições. Para se tornar membro de um grupo desses é preciso amaldiçoar o nome de Deus. Segundo a igreja satânica, há entre crianças e jovens, 14 milhões de seguidores no mundo. Há pouco mais de 5 anos não havia mais que 100 mil adeptos, adultos na grande maioria.

Demônio de três cabeças:

Harry é um feiticeiro de 13 anos de idade, que blasfema abertamente contra Deus e contra Jesus, promovendo a feitiçaria seguida de vingança contra qualquer um daqueles que o desaponte. O livro lhe da exemplos de como fazer rituais com palavras de magia e invocação de poderes demoníacos, e vem ate mesmo com a bibliografia completa das obras citadas. Mostra até como invocar ´CEREBUS´ demônio a quem chamam de cão de caça, de três cabeças, habitante do inferno...

Livros da série , todos escritos por J. K. Rowling: Harry Potter e a Pedra Filosofal; Harry Potter e a Câmara Secreta; Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban!; Harry Potter e o Cálice de Fogo.

Portanto, amados, tais práticas encontra-se registrado na Escritura como um “tempo de dores”, onde pessoas apostatariam da fé dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios. (1 Timóteo 4:1).
A mídia em toda suas formas de uma forma geral (cuja mão forte que a detém são os poderes das trevas) tem disseminado essa cultura infernal em larga escala inoculando tais ensinamentos e assim plantando em milhares de mente o vírus da maldade. Infelizmente as crianças e os jovens são os mais vitimados.

Tudo isso (fadas, elfos, gnomos, vampiros, duendes, feiticeiros, advinhos, bruxas, wicca, lobisomens, e coisas semelhantes vem da mesma fonte: as produndezas do inferno; assim, todos nós temos que atentar diligentemente para os textos de advertencia que lemos no início do tópico “A Luz da Palavra de Deus” e não compactuar com as obras das trevas, ou como afirma Efésios 5:11 “não comuniqueis com as obras infrutuosas das trevas, mas antes condenai-a". Infelizmente há mais pessoas no meio chamado evangélico em defesa de tais práticas do que em condenação das mesmas!
Jovem, o sangue que você precisa de fato e de verdade é o Sangue de Jesus Cristo, derramado na cruz do calvário. Ele te remirá, perdoará seus pecados, te sarará e te concederá a tão sonhada vida eterna.
“Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia” – João 6:54

por Vilson Ferro Martins – em 23/03/2011.

  1. O número DEVERÁ estar cadastrado no WhatsApp.
  2. Nome Completo(*)
    Entrada Inválida
  3. DDD + Telefone(*)
    Entrada Inválida
  4. Email(*)
    Entrada Inválida

Assine News

Inscreva-se para receber POR E-MAIL diariamente nossa palavra.
Nome
E-mail
Confirme E-mail


Artigos

Doe Agora

eBook - Livros!

   

Visitantes Online

Temos 180 visitantes e Nenhum membro online

Deus se importa

Se você precisa de uma palavra abençoadora para o seu coração, então clique AQUI.

Recursos

banner-monte-sinal