MÓDULO 10

X. INSTRUMENTOS DE LOUVOR

A. À Imagem de Deus

B. Palavras para Louvas ou Palavras para Agradar

C. Seus Instrumentos de Louvor

Algo que sempre deve ser enfatizado é que DEUS NOS CRIOU PARA SUA GLÓRIA! Deus nos criou para Seu PRAZER.

Digno és, Senhor, de receber glória, e honra, e poder, porque TU criaste todas as coisas, e por TUA vontade são e foram criadas”. – Apocalipse 4:11

Assim, é bom estabelecermos este fato desde o princípio, nossa filosofia de ministério, de vida... porque muitos ministérios e igrejas colocam a ênfase na primeira pessoa, na gratificação pessoal – como EU me sito – mas, acima de tudo temos que ver o que Deus pensa; se algo glorifica e honra a Deus em primeiro lugar.

Então, música é PARA ELE, não para agradar a carne. É AO Senhor.

A. À Imagem de Deus.

Disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança...” – Gênesis 1:26.

A. Á Imagem de Deus

1. Nós Somos Seres Músicais

De acordo com as duas psicólogas (seculares) – no livro: The Music Whitin You – A Música Dentro de Você – Shelley Kasth e Carol Merle-Fishman:

“Como forma de terapia, música é extremamente efetiva, porque somos todos cognitivamente seres musicais”.

Elas (psicólogas do mundo) estão afirmando que música nos afeta genéticamente, ou seja, nascemos programados musicalmente, porque assim Deus nos fez, corroborando com Gênesis1:26.

Em outro livro intitulado Uma Teoria Generativa de Música Tonal, por Lerdahl e Jackendoff (professor de música da Universidade de Columbia e um professor de linguística) escreve:

“... Muito da complexidade da intuição musical não é aprendida, mas é dada pela organização inerente da mente, que é determinado pela herança genética humana”.

A. Á Imagem de Deus

1.Nós Somos Seres Músicais

2. Toda a Criação de Deus É Musical

Toda a natureza reflete MÚSICA.

Existem muitos textos bíblicos para sustenta esta verdade. Falam sobre a musicalidade na criação de Deus:

Salmos 65:13 – Salmos 104:12 – Jó 38:7 – Isaías 44:23 – Isaías 49:13 – Isaías 14:7 – Isaías 35:1,2 – Isaías 55:12 – Cantares de Salomão 2:12.

Uma amostra: Jó 38:7 “Quando as estrelas da alva juntas alegremente cantavam, e todos os filhos de Deus jubilavam?”

Um exemplo:

A Aranha – Como a aranha faz uma teia e não fica grudada nela? Ela usa um sistema musical que Deus criou na natureza chamado Física das Cordas ou Harmônicos ou ainda Série de Sons Secundários. (Quem toca sabe muito bem o que é isso).

Veja figura ilustrativa:

Um fato: Se alguém tocar um Mi ou um LÁ no piano, e por perto estiver um violão, as cordas do MI e do LÁ no violão irão vibrar, porque se encontram na mesma vibração, mesma frequência.

Entretanto, se pegarmos apenas uma das cordas do violão e a ferirmos, de imediato fará uma grande “barriga”, mas depois começará se dividir em vários pontos. Esses pontos são os harmônicos. A música é baseada nos harmônicos. Assim, quando criamos harmonias, na realidade estamos apenas estruturando algo que Deus já criou, quando fez o mundo, e criou o homem.

Voltando a aranha... ela desce tescendo sua teia, pintando toca a teia (corda), por fim ela toca a corda (teia) e essa corda tocada cria os harmônicos, assim dividindo-as espaçando de maneira exata as partes “grudentas” permitindo que ela passe por cima sem ficar grudada na própria teia.

Como que a aranha sabe disso? Usa música!

No livro The World is Sound – O Mundo é Som – Joachim-Ernest Berendt diz:

“…tem se tornado possível fazer a “canção dos planetas” audível... O espectro sonoro dos seis planetas visíveis, incluindo a terra, cobre oito oitavas, quase idêntico ao alcance da audição humana” – (p.66). “...a “lei de constantes e múltiplas proporções” conhecida da química... pode ser entendida como um catálogo gigante de proporções harmônicas”. (p.70). “...estes números, quando transpostos para proporções de intervalo, produzem apenas e exclusivamente a maior parte dos intervalos mais consoantes: oitavas, quinta, quarta, sexta maior e terça menor” (p.71).

Tudo termos musicais falando da natureza. Ele continua...

“Aqui há verdadeira esmagadora evidência para a estrutura sonora musical ‘harmônica’ bem como ‘harmoniosa’ do mundo”. (p.71).

Igualmente um estudo publicado no USA TODAY (jornal americano)em 22/04/1994 sob o título de “Três Planetas Encontrados Fora do Sistema Solar” diz:

“...conforme o sinal gira para dentro da ‘visão’ (do planeta) ele pulsa num ritmo com maior precisão do que o tic-tac de um relógio atômico”.

Em outro livro denominado The Third Ear: On Listening to the World – O Terceiro Ouvido: Ao Ouvir o Mundo – Joachim-Ernst Berendt encontramos:

“Quase tudo no macro e micro cosmos de nosso mundo terrestre obedece as leis de harmônica”. (p.84).

Novamente em Tone Deaf and All Thumbs? – Desafinado e Desajeitado? – Franck R. Wilson (um neurologista) também encontramos:

“Nós somos músicos natos por causa da natureza espacial do cérebro humano e do sistema muscular fenomenal ao qual ele está conectado”. (p.2). “Nossa responsividade à música, no entanto, assim como nossa responsividade à linguagem, parece ser uma outra questão, dependendo de um poder de síntese das habilidades auditivas e cognitivas únicos no reino animal”. (p.68).

O ser humano de uma forma especial é um ser musical.

Deus não é só o criador de música, Ele próprio é um ser MUSICAL. Por isso a música possui tanta influência sobre nós. Faz parte de nossa natureza.

Zacarias 9:14 diz: E o Senhor será visto sobre eles, e as suas flechas sairão como o relâmpago; e o Senhor Deus fará soar a trombeta, e irá com os redemoinhos do sul”.

Sofonias 3:17 “O Senhor teu Deus, o poderoso, está no meio de ti, ele salvará; ele se deleitará em ti com alegria; calar-se-á por seu amor, regozijar-se-á em ti com júbilo”.

Podemos até imaginar como será a música no céu. A música na terra não chega nem perto do que musicalmente acontece nos céus. Por mais que nos esforcemos...

É imprescindível, então, que o caráter da música do crente reflita o CRIADOR.

O músico cristão tem a obrigação de comunicar claramente os ATRIBUTOS de Deus na música sacra.

Ora, se Deus é um ser musical e a música tem que refletir o Criador e Seus atributos, nossa música deve mostrar na forma de sua apresentação, na forma que ela é usada:

- Ordem ou Desordem?

- Santidade ou Sensualidade?

- Justiça ou “Faça como Quiser”?

No livro de Johansson (cristão) – Música e Ministério ele diz:

“Na base da criação se encontra designo, não caos, e música como parte da ordem criada em nosso mundo deve participar das leis de nossa existência. Forma musical artística demonstra as características de ordem e propósito da criação de Deus. Sem coerência, formato, propósito ou forma, não existe música... Música consistente afirma bem este aspecto da doutrina da criação; música que é caótica, por faltar forma coerente, nega esta doutrina”.

Lembra-se do que já foi visto? Música escrita de forma musical correta, organizada, coerente, melódica – apoiando a parte principal da música que é a melodia isto é saudável e reflete a própria criação.

Entretanto, aquilo que é feito como querem, sem respeito a própria natureza da música, sobem, descem, fazem sons diferentes fora do padrão da música, é porque possuem outra filosofia que não é a sacra. Nós queremos e devemos refletir a santidade do nosso Deus através da música.

O som da música e as palavras dos cânticos devem refletir o EVANGELHO. (Só agora estamos falando de “palavras” também). SONS e PALAVRAS devem seguir juntas... devem se completar.

Agora, quais letras que devemos cantar? Quais letras que são aceitáveis em músicas sacras, que honram a Deus?

Podemos achar resposta no Salmo 119:54 “Os teus estatutos têm sido os meus cânticos na casa da minha peregrinação”.

Assim, todos os aspectos da música sacra – O CARÁTER DO SOM – as implicações das LETRAS, a maneira na qual os sons e letras são transmitidos, e o espírito com que são projetados – devem puxar o ouvinte do MUNDO e dirigir a sua ATENÇÃO ao Senhor. TUDO deve ser PIEDOSO!

- O caráter do som... deve ser piedoso.

- As letras... devem ser piedosas.

- A forma que é cantada... ser piedosa.

- A forma que é apresentada... igualmente piedosa.

- O cantor deve agir... de forma piedosa.

...Para refletir DEUS... e não parecer com o mundo!

X. Instrumentos de Louvor

A. À Imagem de Deus

B. Palavras para Louvor ou Palavras para Agradar

A grande maioria das músicas de MCC (existem boas músicas cristãs, sacras, sendo compostas hoje, mas no referimos a músicas do segmento MCC – letras supostamente evangélicas amalgamadas a ritmos mundanos, como Rock, Reggae, Funk, Rap, etc.) tem a finalidade de AGRADAR e não LOUVOR.

O principal foco deste estudo tem sido, e continuará sendo, no SOM em vez de nas PALAVRAS. Porém, é importante considerarmos algumas das LETRAS encontradas em música sacra contemporânea – MCC.

Muitas das músicas “contemporâneas” dão a ideia de INTIMIDADE, sem deixar claro de quem estão falando.

[exemplo]

Salmista disse: “Cantarei ao Senhor enquanto eu viver; cantarei louvores ao meu Deus, enquanto eu tiver existência. A minha meditação acerca dele será suave; eu me alegrarei no Senhor”. – Salmos 104:33-34.

Qual veículo o salmista usou para expressar alegria sobre o que Deus criou?

Resposta: MÚSICA!

Vamos ver algumas palavras que na música cristã DEVEM estar presentes, como a Bíblia nos orienta. Palavras como:

==>1. Seu nome – Salmos 105:1

==>2. Suas obras – Salmos 105:1

==>3. Suas maravilhas – Salmos 105:2

==>4. Sua justiça – Salmos 145:7.

Infelizmente as músicas de MCC frequentemente expressam mais sentimentos, emoções e condições sobre “você”, “mim”, “meu” e “eu” do que sobre o Senhor. Há muita ambiguidade. Muito nebulosidade nas letras. Não há nada declarado da Palavra de Deus.

Muitas das músicas referem-se VAGAMENTE às coisas espirituais. Música sacra deve ser usada para ENSINAR e ADMOESTAR, conforme Colossenses 3:16:

A palavra de Cristo habite em vós abundantemente, em toda a sabedoria, ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros, com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando ao Senhor com graça em vosso coração”.

Também o salmista diz: “Os TEUS ESTATUTOS têm sido os meus cânticos na casa da minha peregrinação” – Salmos 119:54. A Palavra de Deus era o motivo de sua música; a razão do seu cântico.

Portanto, música sacra não é para entretenimento.

Outro exemplo: Na música “Who to Listen to” de Amy Grant, traduzindo diz:


“Não pegue carona com um estranho

Não tem maneira de saber para onde vão

Você pode ser largado em uma longa estrada escura

Perdido e sozinho

Você não se lembra do que a sua mamãe disse?

Você tem que aprender a diferença entre o quente e o frio”

Alguém pode explicar isso no contexto cristão? Não existem inúmeras músicas mundanas da mesma maneira?

Não por acaso numa reportagem no jornal de Boston sobre esta cantora (Amuy Grant) exatamente sobre esta música foi dito:


“Você quer cantar, solte a voz! Quer dançar, então dance até cair! Hoje a noite celebramos! Com estas palavras ela iniciou a seu próprio estilo de reunião de avivamento no Worcestor Centrum segunda à noite... Por quase duas horas, ela manteve o espírito se movendo – emitindo vocais fortes, mas ternos, acompanhada por uma mistura de pop elétrico que parecia mais apropriada para uma festa de dança (um jornal do mundo falando) do que para uma igreja “Who To Listen To”, um número animado, até apareceu em um episódio de ‘Miami Vice’”.

Pergunta:

Por que muitos dos artistas cristãos populares estão produzindo música que não se encaixa nos padrões da Palavra de Deus?

Resposta:

A maioria dos artistas cristãos contemporâneos compartilham poucas das nossas POSIÇÕES BÍBLICAS. Muitos estão pregando “OUTRO EVANGELHO”.

E por que estão mudando?

A cantora da música acima disse porque num artigo de revista supostamente cristã chamada Family Circle, cujo título do artigo era “A Madonna de Música Gospel”. Ela diz na entrevista:

FC - Durante o último ano a sua música tem mudado. Muitas referências a Deus nas suas músicas foram trocadas por assuntos como paixões ou amizades.

Por que?

AG - ‘Eu fiquei desiludida, e é por isto que minhas palavras se tornaram menos idealísticas’, disse ela... ‘e eu estou descobrindo que o mundo não é um lugar perfeito, e Deus não pode resolver os problemas de todo mundo’”.

Numa outra entrevista num jornal de Arizona, ela disse:

“Sou cantora, não pregadora”. “Eu não estou procurando converte ninguém. Eu sinto que pessoas vêm para ouvir minha música, não o que vou dizer... Adoro dançar, mas há pessoas que escutam minha música que não se sentem bem dançando. Eu tenho que pensar nelas. Eu não vou dizer com muita frequência que gosto de uma cerveja gelada enquanto assisto a um jogo de futebol. Isso pode incomodar alguns fãs, também. Eu estou tentando alcançar tantas pessoas que, expressar certas opiniões pessoais pode ser uma barreira”.

Percebe-se o tipo de cristianismo há nesse meio?

Música é um dom de Deus ao homem, para o homem usar para refletir a Sua pessoa e não um dom do homem para Deus usar em evangelismo.

Novamente, a mesma cantora numa outra revista Ladies Home Journal disse:

“Meu maior desejo”- ela diz com veemência, “é contar às pessoas como minha vida foi tocada por Jesus. Mas, assim que menciono Jesus em uma entrevista, leitores perdem interesse e dizem: O que? Não, não, ela pirou!”

Ela descansa o queixo na mão e ri!

“Então, acho que não vou dizer mais, só vou continuar cantando isto”, ela diz com um sorriso. “Mas cantar tem suas desvantagens também. Me impede de ser uma da turma. Eu sinto falta disto”.

Depois de 8 albuns, ela tem atraído centenas de milhares de fãs jovens e limpinhos, a maioria entre 13 a 25 anos de idade, que conhecem cada palavra de cor. Como fãs de rock em todo lugar, eles batem palmas, vibram, juntam as mãos, balançam em seus lugares e dançam nos corredores... ‘Eu tenho um senso saudável do que é certo ou errado; mas, às vezes, usar um palavrão entre amigos, por exemplo, pode ser bom para uma risada’. ‘Parece para mim’, ela diz em reflexão posterior ‘que pessoas que são mais dogmáticas contra sexo pré-nupcial têm experimentado algum tipo de dor em suas próprias vidas. Como as pessoas que dizem um não categórico ao Rock & Roll. As chances são de que tem alguma coisa a ver com uma tristeza no passado”.

Ora, isso é escandalosamente “outro evangelho”. Este não é o evangelho bíblico conhecido, vivido e defendido pelos salvos. Evangelho que transforma vidas pecaminosas em salvos.

Outro exemplo de Debby Boone na música: You light up my life – Você ilumina minha vida:

Você ilumina minha vida

Você me dá a esperança para continuar

Você ilumina meus dias e preenche as minhas noites com sua canção e preenche minhas noites com sua canção

Não pode ser errado quando parece (sente) tão certo.

Porque você ilumina minha vida.

Quem é o tal VOCÊ?

Trata-se de um “você” nebuloso, que pode ter vários sentidos.

Para se ter uma ideia esta música está num filme que chegou ganhar um oscar. O autor da música foi encontrado *morto.

*O compositor Joseph Brooks, autor de uma das canções mais conhecidas dos anos 70, You Light Up My Life, música pela qual ganhou um Oscar em 1977, foi encontrado neste domingo (22/05/2011) morto em seu apartamento de Nova York.

Esta música é tocada em todos os lugares, incluindo boates, etc.

Então, pergunta-se: Esta música está sendo usada para propósitos que nem o cantor e tampouco o compositor tiveram essa intenção?

Veja o que Amy Grant continua dizendo:

“Cantores contemporâneos honestamente acreditam que chegou a hora de algumas músicas cristãs autênticas penetrarem a veia secular... Ao invés de dizer: ‘isto é um álbum cristão”, e “Isto é um álbum secular’, estamos dizendo: ‘Este é um bom álbum que cristãos e o mundo vão gostar’.

Eles creem que parte da razão pela qual eles gozam de boa aceitação na indústria do entretenimento é por causa dos seus perfis relativamente discretos de cristianismo no palco... ‘O que eles não enxergam podemos perder nosso palco se forçarmos muito a barra’. ‘Cristãos (evangélicos) me perguntam, ‘Como você pode cantar?’ ‘Não pode ser errado quando parece (sente) ser tão certo este tipo de coisa?’

‘Eles só estão cegos para o fato de que ela tem aparecido nacionalmente na TV várias vezes, e é bem conhecido que é uma música cantada ao Senhor... e o Senhor obviamente a está usando’”.

Deixemos de lado a referência Deus e vamos nos focalizar apenas na filosofia anti-Deus e anti-Bíblica

“Não pode ser tão errado quando sente ser tão certo”. Isso é anti-bíblico, é contrário a Palavra de Deus. Isso é o que o mundo diz. A Bíblia diz que há caminhos que parecem direito ao homem, mas no fim são caminhos de morte.

Isso revela uma cegueira espiritual de tamanha profundidade, pois, na Bíblia não há achismos, subjetividades a respeito do que é certo e errado. Deus não deixou isso na dúvida.

Ora,

Se o louvor que é devido a Deus se torna BARULHO (Amós 5:23) aos ouvidos de Deus, isto é em parte responsável pela confusão, descontentamento, intranquilidade, e CARNALIDADE na comunidade cristã.

A própria música que é um barulho aos olhos de Deus tem contribuído para muita carnalidade e desvios de conduta em meio aos evangélicos. A própria música MCC está transmitindo e potencializando a carnalidade no meio cristão.

Mesmo quando a verdade é revelada, e é tão óbvia, por que as pessoas estão tão cegas? Não só cegas, mas literalmente apoiando isso?

Dizem: É melhor ter pessoas assim na igreja do que no mundo. Será? É Bíblico este pensamento?

Estar morno espiritualmente causa CEGUEIRA. A mornidão tem causado uma cegueira exacerbada infeccionando o meio evangélico.

A Bíblia é claríssima quando diz respeito ao “mundo” e seus sistema. Ela não deixa dúvidas sobre este assunto e quais cuidados os cristãos devem ter. É tão claro:

Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre” – 1 João 2:15-17.

“ Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver; Porquanto está escrito: Sede santos, porque eu sou santo” – 1 Pedro 1:15-16.

Agora, se olhamos para um crente e ele parece, ele veste, ele age, ele canta, tem os mesmos gostos, tudo, tudo igual ao mundo... o que que é mundo então?

O que é viver em santidade de vida em toda nossa maneira de viver?

As pessoas estão desprezando a Verdade tão clara da Palavra de Deus por que estão cegos. A Bíblia mesma fala desta cegueira:

E ao anjo da igreja que está em Laodicéia escreve: Isto diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus: Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; quem dera foras frio ou quente! Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca. Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu” – Apocalipse 3:14-17.

Carnalidade CAUSA cegueira!

“Pois aquele em quem não há estas coisas é cego, nada vendo ao longe, havendo-se esquecido da purificação dos seus antigos pecados” – 2 Pedro 1:9

Carnalidade CAUSA cegueira, causa frieza espiritual!

A própria música usada nas igrejas transmite carnalidade que por consequência mergulha as pessoas na cegueira e frieza espiritual. O SOM, não as palavras.

“E TAMBÉM houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá também falsos doutores, que introduzirão encobertamente heresias de perdição, e negarão o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina perdição” – 2 Pedro 2:1

O mundo de MCC começou com palavras bonitas e agradáveis, mas, está chafurdando a igreja numa lama sem fim.

“A palavra de Cristo habite em vós abundantemente, em toda a sabedoria, ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros, com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando ao Senhor com graça em vosso coração” – Colossenses 3:16.

A Palavra de Cristo que vamos transmitir pela música e não uma música com SOM mundano e letra ambígua.

X. Instrumentos de Louvor

A. À Imagem de Deus

B. Palavras para Louvar ou Palavras para Agradar

C. Seus Instrumentos de Louvor

Agora, falaremos sobre Instrumentos de Louvor

No Velho Testamento existem muitas referências à música INSTRUMENTAL e VOCAL.

Havia sim festas e solenidades envolvendo todo tipo de instrumento e a pergunta é:

Por que existem tão poucas referências a instrumento no Novo Testamento?

No Novo Testamento existem poucas referências à música e talvez somente UMA referência a INSTRUMENTOS (I Coríntios 14:15). “Que farei, pois? Orarei com o espírito, mas também orarei com o entendimento; cantarei com o espírito, mas também cantarei com o entendimento”.

O termo “cantar” aqui é PSALLO, um termo instrumental.

Então, porque o Novo Testamento fala tão pouco sobre instrumentos?

É por que não devemos ter instrumentos na igreja?

Vamos ver o que diz Leonard Seidel (um evangelista na área de música), em O Novo Cântico de Deus:

“Há uma razão básica porque não encontramos mais referências à música na igreja primitiva do Novo Testamento. Era um corpo que temporariamente se reunia em casa, em navios, no mercado, à beira mar. As vezes às escondidas, longe daqueles com um intento maligno de eliminá-la. Já que não existia nenhum lugar de reunião seguramente estabelecido, era impossível organizar um programa de música formal. Músicos do N.T. utilizavam mecanismos músicais simples para instrumentação e isto era feito sob circunstâncias difíceis”.

Mas, segue-se um princípio para nossa vida:

No Velho Testamento, Deus habitava com Seu povo no TEMPLO. Seus filhos empregavam INSTRUMENTOS, às vezes milhares deles (I Crônicas 23:5), para louvar ao Seu nome.

HOJE, Ele habita EM NÓS. (I Coríntios 6:19-20).

Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus”.

ENTÃO, consequentemente nós somos Seus INTRUMENTOS de louvor!

Você é um instrumento de louvor do Senhor.

“A todos os que são chamados pelo meu nome e os que criei para a minha glória, os formei, e também os fiz... A esse povo que formei para mim; o meu louvor relatarão” – Isaías 43:7,21.

Portanto, nós – os salvos - somos Seus instrumentos de louvor.

Podemos usar instrumentos músicais para louvar a Deus; mas, lembre-se, um INSTRUMENTO é uma extensão da PESSOA que o está tocando – ele revela a PERSONALIDADE de quem o toca.

Anne Sophie Mutter (uma das três maiores violinistas do mundo) afirmou:

“O violino faz parte de mim mesma”.

É importante salientar que o músico cristão faz parte de dois mundos. Assim, ele pode pender para o lado da carnalidade (rock, jazz, reggae, rap... harmonias dissonantes, ritmos dançantes, etc.) se não tomar cuidado e o instrumento tocado será uma extensão dele, portanto, um instrumento de carnalidade. OU usar a música para louvar a Deus, transmitir ordem, beleza, santidade, glória ao Senhor.

Isso é uma extensão da própria pessoa que está tocando o instrumento, porque no fundo, nós somos o instrumento do Senhor, para Seu louvor.

Enquanto o filho de Deus canta e toca, deve estar ciente de que Deus habita nele e que ele, o crente, é o Seu INSTRUMENTO DE LOUVOR.

  1. O número DEVERÁ estar cadastrado no WhatsApp.
  2. Nome Completo(*)
    Entrada Inválida
  3. DDD + Telefone(*)
    Entrada Inválida
  4. Email(*)
    Entrada Inválida

Assine News

Inscreva-se para receber POR E-MAIL diariamente nossa palavra.
Nome
E-mail
Confirme E-mail


Artigos

Doe Agora

eBook - Livros!

   

Visitantes Online

Temos 229 visitantes e Nenhum membro online

Deus se importa

Se você precisa de uma palavra abençoadora para o seu coração, então clique AQUI.

Recursos

banner-monte-sinal